Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2017

Gambás

Imagem
(Imagem: Pinterest)

A pimenta e o rabo

Imagem

Lágrimas

Imagem
(Imagem: Van Gogh / Pinterest )

Cinco mulheres entram em um vagão do metrô de São Paulo lendo silenciosamente uma carta. Logo deixam as folhas de papel sobre os bancos e, em prantos, saltam na próxima estação. Ao lerem o documento, os curiosos passageiros veriam tratar-se de convite para exposição de artista plástica francesa, realizada durante evento anual de literatura no Brasil.
Apesar de tudo, lágrimas ainda movem e comovem. Mais que expressar emoções, cutucam a miséria de nossa condição humana. Mohamed Said Fellag, escritor, humorista e comediante nascido na Argélia, confessou certa vez chorar sozinho nos bastidores antes de seus espetáculos. E o fazia porque se lembrava das vítimas e amigos mortos em chacinas naquele país africano, então assolado por uma guerra civil. “Dou risadas para não me suicidar”, declarou ele a uma jornalista. O poeta norte-americano Theodore Roethke também denunciou lágrimas e solidão quando disse: “Choro pelo que sou quando estou sozinho”.
Ao ser informada…

Como disse?

Imagem
(Imagem: Google)


Nascido por volta do ano de 560 em Sevilha, cidade onde foi bispo por mais de três décadas, Santo Isidoro escreveu Etimologias – obra sobre a linguagem e que retrata o mundo de sua época.
Para Jean Lauand, professor titular na Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, na Idade Média o autor costumava analisar a etimologia das principais palavras envolvidas na discussão de uma questão qualquer. Isto, por estar convencido de que a denominação da palavra “podia conter em si informações sobre a própria realidade referida”.
Ainda segundo Lauand, experiências densas que vivemos não possuem brilho duradouro na consciência reflexiva – razão pela qual o próprio Santo Isidoro valia-se de velha constatação dos gregos para lembrar que o homem é um ser que esquece.
Parte dessas experiências, no entanto, vai parar na linguagem. Daí a afirmação do titular da FEUSP de que, não raro, a análise etimológica ajuda a tarefa humana de filosofar. “Ao tratar filosoficamente a grati…