sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Mau exemplo

(Imagem: Pinterest / axfashions.com)

Curioso país o nosso, onde o que se afina com as aspirações da sociedade não costuma ultrapassar a sonoridade dos discursos.

No quintal do falatório há muitas unanimidades, e uma delas é a Educação. Existisse um medidor como o impostômetro registrando cada vez que se recorre à palavra educação para apontar uma prioridade no país, e haveria surpresa pela longa fileira de algarismos contabilizando essa frequência.

Não se educa sem bons exemplos. Mas na nova configuração que se procura dar à sociedade, exemplo é primo-irmão do conselho: se fosse bom, seria vendido. Nunca como antes, o velho aforismo do 'faça o que eu falo, mas não faça o que eu faço' exibe-se com desenvoltura exatamente de onde deveria ser escorraçado a vassouradas.

Proscrito como galocha, bomba de flite ou máquina de datilografia, o bom exemplo foi amordaçado e dispensado no porão escuro do esquecimento, para onde soberbos e imprudentes costumam enviar valores universais como justiça e verdade, além das próprias culpas.

O julgamento, pelo Supremo Tribunal Federal, da liminar do ministro Marco Aurélio Mello afastando Renan Calheiros da presidência do Senado, confirma isto. Apenas dois integrantes daquela Corte – o Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, e o próprio autor da liminar – apelaram para o vácuo de bom exemplo na atitude do senador alagoano, ao recusar-se a cumprir ordem judicial. Janot perguntaria que exemplos ficariam para crianças, adolescentes e brasileiros em geral. E o ministro Marco Aurélio, depois de enfatizar a 'quadra estranha, onde valores estão invertidos', definiria a atitude de Renan Calheiros como 'triste exemplo para o jurisdicionado em geral'.

Interprete-se como quiser a decisão do STF – política, ponderada ou juridicamente correta. Mas o fato é que o descumprimento de uma decisão judicial é exemplo – mau – que vem enriquecer a já fartíssima coleção de outros semelhantes, caprichosamente elaborados por nossas lideranças.

Exemplo insepulto e que cheira muito mal.

3 comentários:

Célia Rangel disse...

Incrível como jogaram no vaso sanitário nossos valores que tanto ensinamos às crianças e jovens de nossas famílias! Passamos por bobos, desatualizados e ultrapassados... Olham para nós, dão boas gargalhadas e dizem: - conta outra vó... Hoje não é nada assim... Atualize-se!
Atitudes abomináveis!
"Tudo o que é alcançado por meio da esperteza tem vida curta e sempre resulta numa derrota pessoal. A esperteza divide, enquanto a inteligência inclui".(Eckhart Tolle)

Luis lourenço disse...

Um abaço, Eduardo.

Wanda Paiva disse...

Esqueci de voltar ao blogspot depois que fui impedicda dde continuar com meu blog, derepente me deparo com este texto tão atual, ,interessante e inteligente. Foi muito bom reencontrar os textos de Eduardo Lara Resende. Parabéns pela sua constância em nos passar seu raciocinio sempre tão inteligente para nos mostrar um novo modo de ver as situações.

Ruínas

(Imagem: Pinterest ) Lá se vai a casa, demolida para cumprir ordem urgente dos tempos que, indiferentes ao bem-estar dos viajantes, aba...