sexta-feira, 24 de junho de 2016

O Vigia - 6


(Imagem: Pinterest, do álbum de Ivey Zimmerman)

Eu pensava em como será a vida no Butão, quando bateram no tapume. Assustei com as pancadas, vigorosas demais para as mãos delicadas das meninas. Vez ou outra elas me chamam lá de fora fazendo miau. A Bebel diz que eu sou um gato, o que me deixa totalmente desconcertado.
Abri a janelinha e dei com a cara sonolenta do patrão. Disse-lhe boa-noite enquanto abria apressadamente o cadeado, mas meu cumprimento ficou sem resposta. 
- Vim fiscalizar!
O homem afastou-me para o lado com o braço e entrou. Viu o mapa aberto no chão e recomendou-me que mantivesse limpo o local.
- Tá sumindo tijolo aqui!
- Ah, isso não senhor, que eu tomo conta mesmo! No meu horário não some nada – respondi de imediato.
- Pois tá sumindo. Vigia é pra vigiar.
O homem percorreu toda a obra e, já de saída, pisou no meu mapa. E ameaçou, antes de entrar no carro: se me pegasse dormindo, era rua no mesmo dia. Em seguida, deu a partida no motor.
Bebel, que observara tudo, aproximou-se da janela do motorista e, insinuante, entreabriu o casaco, deixando à mostra as belas pernas. O patrão ensaiou um sorriso de desprezo e arrancou, por muito pouco não esmagando com a roda o pé da prostituta.
- Seu filho da puta! – a Bebel gritou. – Vai ver, não gosta de mulher...
Avisei a ela que aquele era o patrão.
- E eu com isso? Quero que ele se arrebente!
Ela ainda praguejava quando ouvimos uma freada, seguida de um estrondo. Atravessamos a rua e fomos na direção de onde viera o barulho. A poucos metros da esquina, arrebentado num poste, estava o carro do patrão. Corri para socorrê-lo.
- Machucou, doutor?
- Machuquei não. E volta pro seu lugar, que tem gente roubando tijolo lá.
(Repost - Editado)

3 comentários:

Célia Rangel disse...

Ah! A pretensão do ter... do poder... da soberania... Para muitos é o que vale! O humano é descartado!
Abraço.

Artes e escritas disse...

Grata por compartilhar. Numa obra de engenharia normalmente há uma porcentagem de perdas, o que aumenta os custos quando chega a hora do acabamento. O acabamento (canos de fiação e tubulação de água) também tem variação de preço e quebra tijolo que tem que ser reposto. Não há desculpa para querer que o "patrão" se arrebente, pois o sucesso dele é o emprego do funcionário. Um abraço, Yayá.

soninha cidreira disse...

Ops! Patrão brabo!! rsrs.