terça-feira, 16 de junho de 2015

Ainda os laços e as descobertas...

(Imagem: Pinterest - Pin de Jeff Jarvis)

Em junho de 2009 surgia aqui este Pretextos-elr, no que se desenhava uma modesta tentativa para desengavetar ideias e exercitar a rotina de escrever, desaquecida pelo afastamento das redações. Longe de boa parte delas jornalista consegue sobreviver com a estranha impressão de que perde pouco ou nada.
Quando este blog nasceu, o autor, como agora, finalizava originais de um livro institucional encomendado. A proposta reacenderia a velha rotina, porém mais confortavelmente pelo fato de a “obrigação” ser auto-imposta: sem vontade ou inspiração, nada de texto. Hoje, mais de 400 postagens foram oferecidas à paciência e generosidade de leitores que apareceram ao longo dos anos.
A experiência rende frutos disfarçados de laços e descobertas. Como as de que palavras deixadas aqui trazem de volta um pouco de cada leitor, que os olhos não veem mas o coração percebe. Gente que se aproxima, apesar da distância, muitas vezes mais do que quem está sempre perto de nós. Simples, indecisos, bem humorados, céticos, reveladores. Espontâneos. Leitores cujo pensamento a rotina de um jornalista raramente permite perceber, salvo pela seção de Cartas à Redação.
Quanto aos laços, eles surgem sorrateiros, armados pela visita e pelas palavras que leitores fiéis deixam a cada nova postagem. São como alegres e ruidosos passageiros de um trem que faz parada em estação esquecida pelo tempo. Riem, conversam, compram e desaparecem em seguida, reembarcados à frente do silêncio e da solidão para os quais nunca há trens, nem horários.
Atrelado a laços de estima tão especiais, que nascem do que deveria ser apenas um exercício de rotina, aqui se desenhou também uma espécie de compromisso realizado pela publicação de “A Idade da Maçã” – livro que reúne alguns dos textos nascidos em Pretextos-elr.
Fica, assim, sempre renovada a gratidão pela acolhida. E junto, o aceno ao trem que parte, na teimosa esperança de que retorne sempre.

3 comentários:

Célia Rangel disse...

Eduardo!
Na estação "Pretextos-elr" sempre há uma parada obrigatória para quem deseja literatura de ótimo nível! Sempre há um trem a nos esperar com um lugar e companhia agradáveis! "A Idade da Maçã" consta de minha biblioteca, com crônicas que nunca envelhecem. Primam pela qualidade e não pela idade! Parabéns, autor!
Abraço.

MARILENE disse...

Eduardo, ler o que escreve é muito prazeroso. Sua linguagem é rica e suas abordagens muito boas. Por vezes reflito, em outras dou risada. Nem sempre comento, mas não deixo de passar por aqui. Parabéns pelo aniversário de seu espaço. Abraço.

Maria Teresa Valente disse...

Boa noite Eduardo, parabéns pelo aniversário de seu espaço.
Parabéns, por continuar a exercitar sua paixão, assim tivemos a oportunidade de conhecer seu estilo, que muito agrada.
Obrigada, abraços
Maria Teresa