terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Curiosidade

(Imagem: Pinterest, do álbum de Louise Brookes)

O garoto foi correndo até à mãe, que descascava uma bacia de batatas na cozinha.
- Mãe, tem um rato morto lá na rua...
A mãe apertou os olhos, franziu o nariz e sacudiu os ombros num gesto de nojo:
- Aai, Nandoo, que coisa! Você sabe que mamãe tem horror de rato...
- Mas ele tá morto, mãe, vem ver.
O menino falava e puxava a barra da bermuda da mãe, que resistia.
- Nando, Você já escovou os dentes?
- Já. Ele tá lá...
- Ele quem, meu filho?
- O rato, mãe...
- Já fez xixi, lavou o rosto, arrumou sua mochila para o colégio?
- Já.
- Então vem tomar o seu café, que logo a van passa pra te buscar.
O menino parou de puxar a mãe, mas permaneceu ali, imóvel, enquanto ela continuava a descascar as batatas. Até que o garoto rompeu o silêncio.
- O rato, mãe...
A mulher estremeceu, deixando cair a faca e a batata que tinha nas mãos.
- Aaai, Nandôo, que susto! Quê que Você está fazendo aqui ainda?
- É o rato que tá morto lá na rua...
Vencida pela curiosidade e pela insistência do filho, a mulher chegou à janela. Esfregava no avental mãos que pareciam não secar nunca.
- Cadê, meu filho? Detesto rato...
Com a agilidade de um camundongo, o menino subiu em uma cadeira e apontou para um montículo disforme meio cinza, meio vermelho, bem no meio da rua.
- Ali, ó, mãe! O rato tá esmagado.
- Eca, Nandooo, que horror! Pra quê que Você fica me mostrando essas coisas?
Ao por a criança no chão, a mãe deu-lhe uma palmada de leve e recomendou que fosse tomar o café já-já, que o seu Frederico da van estava chegando.

(Repost - Reeditado)

Um comentário:

Célia Rangel disse...

Seria realmente "o rato" que Nando queria que sua mãe olhasse? Ou, foi um "chamar de atenção", para que ela deixasse "as batatas" de lado e, se ocupasse um pouco dele? Criança tem cada "tirada engenhosa" que dá nó mental no adulto.
Abraço.